Nosso céu: as constelações do hemisfério sul

O nosso céu reserva belezas impressionantes: observar a imensidão do universo e poder assistir às constelações do hemisfério sul é um dos maiores privilégios que nós temos. Portanto, é importante entender quais são os aglomerados de estrelas que podemos ver na nossa região e como localizá-las!

Mas o que são as estrelas? Basicamente, são corpos celestes com formação principalmente de gás hidrogênio e hélio, que emitem luz própria.

Logo, as constelações são agrupamentos de estrelas em uma mesma área – mesmo que estejam, de fato, a muitos anos-luz de distância uma das outras.

Desde os tempos mais remotos, a observação das estrelas fascinava o ser humano, que passou a relacioná-las entre si e também com outros fenômenos ambientais. A partir daí, elas começaram a ter nomes e serviam como referência para localização e também para guiar períodos próprios para agricultura, por exemplo.

No entanto, das 88 constelações catalogadas, não são todas as que conseguimos enxergar no nosso céu.

Isso porque vivemos em diferentes latitudes, além do mapa celeste variar de acordo com a época do ano, por conta do movimento de translação.

Portanto, descubra quais são os grupos de estrelas que conseguimos observar na parte inferior da Terra!

A constelações do hemisfério sul e do nosso céu

Dentre as principais constelações do hemisfério sul, destacamos a Constelação de Órion e a do Cruzeiro do Sul, que é a menor de todas, mas não menos importante, já que tem quatro das suas principais estrelas de primeira magnitude e aparece bem brilhante no céu noturno.

Todas as constelações passíveis de observação somente no hemisfério sul recebem o nome de austrais, enquanto as exclusivas do hemisfério oposto são as boreais.

Confira abaixo quais são os agrupamentos de estrelas que podemos enxergar na parte inferior do globo, como também aqui no Brasil:

Constelações que podem ser vistas a partir do Brasil

Algumas das constelações podem ser facilmente identificadas no nosso céu e no nosso país, em praticamente todo o território. No entanto, é importante considerar o que falamos anteriormente: o posicionamento ou aparição varia de acordo com o período do ano, ok?

São elas:

Constelação de Órion

Talvez uma das mais famosas entre os brasileiros, pois a identificação das suas estrelas é bem fácil – mesmo para quem não entende nada de astronomia.

É no Cinturão de Órion onde estão as famosas 3 Marias, estrelas que tem os nomes árabes de Mintaka (cinto), Alnilam (pérola) e Alnitak (corda), representando itens que fariam parte do cinto do caçador. Elas formam um asterismo em linha reta, o que as torna facilmente identificáveis.

constelações do hemisfério sul - 3 marias na constelação de orion
“3 Marias”

Já as estrelas mais brilhantes da constelação são Rigel e Betelgeuse, que ocupam, respectivamente, a sexta e a oitava posição de estrelas mais brilhantes em todo o céu noturno!

A Constelação de Órion também pode ser vista, em alguns momentos, no hemisfério norte.

Constelação de Escorpião

Em seguida, a Constelação de Escorpião também se encontra aqui: em agosto, ela sua localização depende de localizar uma estrela de tom bastante avermelhado. Então, é possível encontrar o grupamento:

constelação de escorpião

Aliás, uma das histórias das constelações do Zodíaco conta que o mito grego sobre esse aglomerado se refere a um temível escorpião que a deusa Ártemis enviou para acabar com a vida do caçador Órion.

Curiosamente, toda vez que “Órion” aparece em um hemisfério, o “escorpião” desaparece, representando uma eterna caça. Ou seja: é outro exemplo de aglomeração que aparece em ambos os hemisférios.

constelação-de-escorpião-e-órion-no-céu

Além disso, essa constelação se destaca por abrigar Antares, a 16ª estrela mais brilhante do nosso céu (a tal estrela de brilho vermelho) e por ser a que tem mais estrelas em representação na bandeira brasileira – totalizando 8!

Constelação da Hidra

A Constelação da Hidra é a mais extensa de todo o mapa celeste! Apesar disto, ela não é tão facilmente identificável, pois suas estrelas possuem baixa magnitude, ou seja: apresentam o brilho mais opaco.

constelação da hidra

Provavelmente, recebeu esse nome em referência à Hidra de Lerna, mostro que Hércules enfrentou em um dos seus 12 trabalhos.

Aqui no Brasil, podemos observá-la com em março e abril. Se você tiver muita dificuldade, pode recorrer aos aplicativos de astronomia para lhe ajudar a acha-la!

Coroa Austral

Novamente, uma constelação que possui estrelas com baixo brilho: a da Coroa Austral. Ela é diminuta e se localiza próxima à Constelação de Sagitário ou da Constelação de Escorpião. Inclusive, basta localizar o “rabo” do invertebrado para encontrá-la.

constelações do hemisfério sul - coroa austral

Assim, seu nome faz referência à coroa de folha louros, que representa a glória dos heróis na antiga Grécia. Segundo mitos, poderia ter pertencido à Sagitário ou Apolo.

Constelações do hemisfério sul

Em outros casos, as constelações podem ser encontradas em outros locais da parte inferior do globo:

Constelação do Cruzeiro do Sul

A Cruzeiro do Sul aponta o cruzamento entre duas rotas cósmicas importantes: a Via Láctea e o Círculo Polar Antártico Celeste. Isso reforça a imagem de cruz, principalmente por estar em uma região onde nosso céu é bem escuro.

As suas quatro estrelas de primeira magnitude formam os braços do elemento, com Alfa e Gama representando o mais extenso e Beta e Delta o menor.  Também há um fato curioso: a Epsilon (estrela menor que se situa a direita), é recebe o nome de Intrometida, pois é a quinta estrela da constelação e não faz parte da cruz.

nosso céu - constelacao-cruzeiro-do-sul

Ao mesmo tempo, essa é uma constelação muito significativa, pois está presente na bandeira de diversos países do hemisfério sul, como Austrália, Nova Zelândia, Samoa e até mesmo na bandeira brasileira.

No caso da nossa, como foi representa uma esfera celeste, tal agrupamento se mostra espelhado em relação aos demais.

O mês de maio é a melhor época de enxerga-la aqui no Brasil!

Triângulo Austral

Uma das constelações do hemisfério sul que teve seu catálogo na era moderna, a Triângulo Austral leva esse nome pela forma óbvia que suas estrelas mais brilhantes formam.

Situa-se no horizonte sul-sudeste em maio e é bastante conveniente para orientação noturna.

Dê o nosso céu de presente a alguém

Já pensou em dar um pedacinho do céu de presente? Nosso mapa das estrelas faz isso por você: ele mostra exatamente como estava o céu em uma data, horário e local que foram importantes por algum motivo.

mapa do meu céu detalhe das constelações e via lactea
Detalhe nas constelações e Via Láctea no Mapa do Meu Céu

É a forma de retratar, criativa e lindamente, um momento especial que merece admiração e valorização eterna.

Ainda, você pode optar por colocar as constelações do dia e seus respectivos nomes, tornando tudo mais interessante.

banner mapa das estrelas em fundo azul

Coloque frases de amor ou frases de amizade e tenha um quadro personalizado, exclusivo e muito simbólico!

Sendo assim, crie seu mapa das estrelas e divida com os demais a grandiosidade do nosso cosmo.

Além disso, se quiser ver outras formas de registrar momentos que o Mapa do Meu Céu criou, é só clicar abaixo:

quadro de estrelas, mapa dos planetas e pingente personalizado do universo - banner ciência

Nossa missão é trazer o encantamento do infinito para pertinho de vocês. 😉